quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Cadê o amor?


Hoje em dia a gente não vê os casais apaixonados na rua como antigamente, hoje a gente vê casais mas eles geralmente estão se atracando e não se acariciando ou conversando só quando são amigos, a gente pode até encontrar mas a cada dia está se tornando cada vez mais raro, hoje eles querem é saber de sexo, tanto que se a gente for numa festa muitos não querem saber de dançar, mas sim procurar alguém para passarem a noite, eles não querem mais saber de relacionamento e sim simplesmente sexo, tanto que acabam gastando mais com móteis do que a si mesmo, só no caso quando um dos dois mora sozinho, mas isso é um pouco raro, é difícil imaginar por quê tudo isso, mas a uma simples resposta para isso o prazer, as pessoas estão mais interessadas em ter prazer não importando se tem um relacionamento ou não, mas sabemos que existe o amor, só que está escondido, por isso não presenciamos muito, quem sabe isso não seja somente uma fase e que passe logo por que é chato saber que ninguém quer um relacionamento sério, não quer se comprometer por medo, mas qual a graça o amor sem o medo.

Bjss


segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Era Uma Vez: Malhação





 “Bonito isso, né? Eu li em um livro!”, dizia o judoca Dado interpretado por Claudio Heirich em “Malhação”. Assim como o loirinho que vivia vestido de kimono, personagens como Mocotó (André Marques), Magali (Daniela Pessoa), Candelária ( Dill Costa), Bródei (Fabiano Miranda) marcaram uma geração de jovens que sintonizavam a TV Globo no final da tarde para assistir “Malhação”.
Quem não se lembra dos versos de Lulu Santos: “Ainda vai levar um tempo, para fechar o que feriu por dentro”? Pois é nesse clima que o Era Uma Vez embarca para relembrar o ínicio da produção, que está há 16 anos no ar e inicia sua 19º temporada na segunda-feira (29). 
A primeira temporada do projeto que estava previsto para durar apenas três anos estreou em abril de 1995 com a missão de falar diretamente com os adolescentes sobre questões de seu universo, como o início da vida sexual, relação com os pais, com os amigos, as dúvidas sobre a fase adulta e como encarar o mundo profissional.
Aqueles com menos de 20 anos, acostumados a ver o desenrolar de histórias nos corredores de colégios, não imaginam como era divertido acompanhar as aventuras daquela turma em uma academia. Muito antes dos cadernos, salas de aula e mochilas, a turma de “Malhação” discutia sobre a vida com roupas de ginástica, rabos de cavalo e rapazes sem camisa nos vestiários e durante as aulas para manter o corpo em forma.




O projeto, assinado pelos autores Emanuel Jacobina e Andréa Maltarolli, foi criado como trabalho final da Oficina de Roteiristas da emissora carioca. Aprovado pela direção do canal, os assuntos eram abordados de forma leve por conta do horário e as tramas levavam uma semana para serem resolvidas.





A primeira temporada contou a história de Héricles (Danton Mello), um ingênuo rapaz que deixa o interior do estado e vai morar no Rio de Janeiro para estudar e trabalhar. Após conseguir um emprego na academia, ele acaba se apaixonando pela doce Bela (Juliana Martins). Noiva de Romão (Luigi Baricelli), ela se encantava pelo tímido zelador do local que era alvo da gozação dos alunos por ser virgem aos 17 anos.

Mas, quem roubou a cena foi André Marques e seu inesquecível Mocotó. O aluno de judô vivia contando vantagens para os amigos sobre suas conquistas amorosas. O personagem fez tanto sucesso que Marques, que fazia sua estreia na TV, ficou na novelinha durante quatro anos. No elenco do projeto davam os primeiros passos na carreira nomes como Carolina Dieckmann, Fernanda Rodrigues, Ana Paula Tabalipa, Susana Werner, entre outros. Eles buscavam aprender o máximo possível ao contracenarem com veteranos como Nair Bello, Mario Gomes, John Herbert e Sílvia Pfeifer. 




Desde o começo, “Malhação” apostou em jovens atores e acabou se tornando um celeiro de novos talentos do canal. Vários atores começaram sua carreira na produção, como Bruno de Luca. “A época da puberdade do Fabinho [seu personagem na trama] foi muito engraçada, porque era a minha também. Nós descobrimos a vida juntos”.


Fonte


Bjss

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Entre os muitos anseios

Entre os muitos anseios
Que existem na vida do
Ser humano, dois se
Destacam: a busca da 
amizade e do amor
pois estes dois
ingredientes mágicos
enchem de significado,
propósito e beleza 
a vida de qualquer pessoa
Procure sempre em
sua vida o amor e as
amizades verdadeiras
e, tendo encontrado,
preserve esse tesouro
com todas as suas
forças, você não vai
se arrepender, pois
esses dois valores
vão iluminar
a sua vida

                                                                                                          Autor desconhecido

Bjs

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Volteiiiiiiiii!

Olá

Estou de volta depois de muito tempo sem net, agora eu poder postar e comentar a vontade, vcs não sabem o quanto eu estava com saudades de vocês é muito bom saber que eu estou de volta, e para voltar com tudo venho com um post super legal abaixo.

Os Gatos de "FINA ESTAMPA "

Os gatos de Fina Estampa, como vocês sabem segunda começou a nova novela das nove e com vem alguns gatinhos que dá pra deixar qualquer garota em frente a tv só para vê - los

1. Caio Castro
Depois de fazer a gente babar muuuito ao interpretar o Edgar de “Ti ti ti”, Caio está de volta a telinha e (acreditem!) ainda mais gato. Na trama, ele dará vida a José Antenor, um estudante de medicina ambicioso que se envolverá com Patrícia (vivida pela Adriana Birolli).  Ele fará de tudo para se mostrar rico quando, na verdade, não é. Já estão preparadas pra suspirar muito pelo ator?

2. Marco Pigossi
O lindo viverá Rafael, o gerente de uma loja de motos superdedicado que enfrentará vários problemas  por ajudar o seu melhor amigo Antenor em algumas armações. Ah! O cara viverá um romance com Amália (personagem da Sophie Charlotte). Tem como não se apaixonar por esses olhos verdes?

3. Guilherme Leicam
O gato interpretará Fábio, um ex-modelo internacional todo estudioso e preocupado com o meio ambiente. Com esse sorrisão e sendo um cara superfofo, impossível não ficar caidinha por ele!

4. Christian Monassa
Já estamos apaixonadas pelo loiro! Christian dará vida ao personagem Max, um cara todo descolado e popular. Ele também será um dos melhores amigos do Fábio (vivido por Guilherme Leicam).


 5. Rodrigo Simas
O fofo (que é irmão de Bruno Gissoni, de “Malhação”, na vida real), entra na novela como o personagem Leandro, filho de Dagmar (vivida por Cris Vianna). Ele é de família simples e só apronta.

E ai gostaram até o proximo post.

Bjs

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Ainda sem net

Olá

Como eu mesma disse estou sem internet, agora o motivo é que troquei de empresa e ela tem que instalar algumas coisas lá em casa, está previsto que eles venham instalar quarta - feira espero que seja mesmo por que eu estou sentindo muita falta daqui, então até a próximo post.

Muitas saudades
Bjss

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Sumiço

Olá

Gente desculpe o meu sumiço o motivo é por que desde de sexta que eu estou sem internet, então por isso que eu não estou postando nem comentando, mas assim que voltar a internet na minha casa eu estarei de volta, então até a próxima.

Bjs

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Fotógrafo das ondas

Olá

Hoje eu quero mostrar uma coisa irada que eu vi na net, tem um surfista e fotógrafo o Clark Little
especializado em registrar ondas a partir de ângulos incomuns, reuniu fotografias impressionantes de ondas vistas do 'lado' de dentro em exposição no 'Smithsonian Museum' em Washington, Estados Unidos. Ele recebeu dois prêmios na última edição da Competição Internacional de Fotografia Windland Smith Rice.
"Todos os dias eu fico agradecido por minha mulher ter me pedido uma foto do oceano para colocar na parede do nosso quarto. Ela achou que eu iria comprar uma foto em uma galeria, mas em vez disso comprei uma câmera à prova d'água e comecei a tirar fotos. Isso foi em 2007 e agora minhas fotos estão nas paredes do Smithsonian Museum. Inacreditável!", diz o artista.

Aki em baixo tem algumas das imagens que eu vi



A fotografia mostra duas ondas colidindo e criando um leque de água. O título da fotografia, 'Mohawk', vem do penteado punk inspirado em índios americanos.

 O fotógrafo percebeu que quando há pouco vento, as ondas se transformam em vidro e criam reflexos interessantes. A imagem foi feita pela manhã.

A cor branca vista nesta fotografia se deve à espuma criada por uma onda que quebrou pouco antes. O fotógrafo diz que é nesta área de impacto que mar e terra se encontram de forma violenta.
O fotógrafo estava deitado na areia quando tirou esta fotografia. Ele foi arrastado por 20 metros e ficou completamente coberto de areia.


Bjss

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Traição





Infidelidade é um assunto que costuma gerar discussões acaloradas e quase sempre faz as pessoas apontarem vítimas e algozes da situação: “Que canalha, como pôde trair a esposa?”; “Como ela fez isso logo com ele, um cara tão bacana?”; “Se eu fosse ele, teria feito a mesma coisa!”; “Coitada, não merecia isso...”. Essas e outras frases refletem os pensamentos que geralmente surgem em conversas sobre alguém que traiu um outro alguém.

Hoje eu vou falar infidelidade, porém fugirei completamente a estes pensamentos. Explico o principal por quê: não acredito em vítimas ou algozes em relações. Em outras palavras, nos relacionamentos não há um “bom” e um “mau”, não há um “coitado” e um “carrasco”. Se as duas pessoas estão juntas, é porque algo as mantém juntas. Seja lá o que este “algo” for – amor, dependência, comodidade, companheirismo, sexo, ou tantas outras coisas – estar junto é uma escolha. Dito isso, passemos então ao nosso assunto tão complexo.

Ouvi Falar que muitos homens e mulheres argumentam que os homens traem mais porque fazer isso “é da natureza masculina”. Essas pessoas explicam que o homem teria um desejo sexual maior do que o da mulher e por isso teria necessidade de buscar sexo fora do casamento. Isso é um mito.

Nas pesquisas da psicóloga Mírian Goldenberg, que há 20 anos vem estudando o assunto, 60% dos homens e 47% das mulheres afirmaram já terem sido infiéis. Ou seja, se os homens traem mais, não é muito mais. E não há absolutamente nada de genético ou “da natureza masculina” nisso. Trata-se de uma questão essencialmente cultural.

Pense bem em como vivemos nos últimos 200 anos. O homem sempre foi o elemento mais importante de uma família, com mais direitos do que todos os outros membros, inclusive a mulher. À esta última cabiam apenas os afazeres domésticos, o cuidado com os filhos e o zelo com o marido. Nada de muitos prazeres nem muitas escolhas. Prazer sexual, então, era algo exclusivo dos homens. Como ter prazer com a própria esposa era algo visto negativamente, era comum os homens buscarem sexo fora do casamento. As mulheres evidentemente sabiam disso e aceitavam a condição, até porque não tinham muita opção.

Alguém pode estar pensando: Ora, mas hoje em dia tudo é muito diferente. Sim, concordo. As coisas mudaram bastante, especialmente a partir da metade do século XX. Essas transformações, por mais radicais que tenham sido, não têm nem 100 anos ainda. Isso significa que a mentalidade de que o homem tem mais necessidade de sexo e por isso trai persiste em muitas mentes, mesmo na daqueles que nasceram já depois de todas as mudanças.

Se homens e mulheres traem, porque fazem isso? Aliás, por que tantas pessoas fazem isso, já que os números mostram que não são poucas? Bem, exatamente por não serem poucas é que fica difícil apontar apenas uma ou duas razões para a infidelidade. Pode-se se infiel por solidão, raiva, insatisfação, carência, poder, vingança, busca pelo novo, desejo de viver uma aventura... Vejo muitas pessoas taxativamente considerarem que se há traição, não há amor. Não penso que seja bem assim.

O que me parece haver em comum nas situações em que as pessoas são infiéis é a busca de algo que não encontram na relação. Uma mulher, por exemplo, pode trair por não encontrar em seu relacionamento a compreensão que desejava. Trai, então, não por não amar o companheiro ou por uma aventura, mas buscando ser compreendida. Um homem, por sua vez, pode trair por sentir seu relacionamento como tedioso. Assim, por não querer deixar a mulher que ama, busca meios de ter a emoção que deseja. Estes não são os únicos exemplos. Muitos outros poderiam ser dados, com diferentes situações que têm como pano de fundo da infidelidade a busca por algo que a relação não oferece.

A infidelidade, quando descoberta, sempre gera sofrimento. O traído sofre por razões óbvias. O homem geralmente se sente humilhado, enquanto a mulher descobre, da pior maneira possível, que não era tão única e especial quanto imaginava ser. E até quem foi infiel também acaba sofrendo, não simplesmente por ter sido descoberto, mas porque se escancaram as dificuldades que há no relacionamento.

E como evitar todo esse sofrimento? Antes disso, como evitar que a infidelidade seja percebida por um membro do casal como necessária? A resposta está no diálogo entre os dois. Se uma pessoa é infiel por sentir falta de algo em seu relacionamento, o outro precisa saber que este algo está faltando. Cabe a cada um a responsabilidade de dizer ao(à) companheiro(a) o que está sentindo, no que está insatisfeito(a), o que desejaria mudar. De nada adianta simplesmente culpar o outro, a rotina, o tempo de relação, a qualidade do sexo e tantas outras coisas que acabam servindo de argumento para a infidelidade. Se há um problema, é preciso compartilhá-lo com o outro, para então solucioná-lo a dois.

FONTE

Bjs